Páginas
TwitterRssFacebook
Categorias

Postado por em dez 1, 2014 em SAÚDE | 0 comentários

01/12: Dia Mundial de Combate à AIDS

01/12: Dia Mundial de Combate à AIDS

Hoje, dia 01 de dezembro, é o Dia Mundial da Luta Contra a Aids. Um dia bem importante para conscientização dos cuidados quanto a esta doença. É fato que hoje o Brasil é um país modelo no fornecimento de medicamento e tratamento da doença, porém isso não significa que a doença não mata e que devemos nos descuidar.

De acordo com o Dr. Dráuzio Varella, em reportagem feita ao Fantástico, nos últimos 6 anos aumentaram em cerca de 50% os casos de AIDS entre os jovens. Existe um sentimento de que a AIDS não mata mais, porém, isto é um equívoco: ainda mata e o tratamento é muito rígido pois a pessoa precisa tomar remédio a vida inteira! Lembre-se: apesar de todo o avanço da medicina, a doença ainda não tem cura e nem vacina.

A AIDS não tem cara. Não é possível identificar quem tem ou não, por isso, ainda que se esteja em um relacionamento estável, é preciso se prevenir.E também não adianta transar sem camisinha e sair correndo pra fazer o teste porque o vírus leva de 3 a 4 semanas pra ser identificado como positivo num exame. Como emergência, se você teve uma situação de risco, você pode procurar a rede pública para receber medicamentos que evitam que o HIV penetre o organismo. Isso deve acontecer até no máximo 72 horas depois do contato sexual. Passou de 72 horas é tarde demais. O tratamento dura um mês, e os remédios devem ser tomados todos os dias, rigorosamente. Mas claro que isto é exceção da exceção, somente em casos de emergência mesmo.

De acordo com a mesma reportagem, quatro em cada mil pessoas são portadoras do HIV e cerca de 150 mil pessoas no Brasil NÃO SABEM que têm a doença.

Pra se contrair a doença, é preciso ter o contato com alguém que já tem a doença. A via mais comum é a sexual, e não é somente o sexo anal, mas qualquer tipo de sexo tem risco de contrair a doença. Até mesmo o sexo oral pode transmitir HIV se houver lesões na boca como gengivites, aftas, feridas, etc.

Além da via sexual, existem outros meios de se contrair o HIV:

– Usuários de drogas injetáveis que compartilham agulhas.
– Tatuagem e piercing apresentam risco pequeno, mas podem ser vias de transmissão caso haja uso de material contaminado – Transfusão de sangue (O risco é de quem RECEBE e não de quem DOA)
– Transmissão da mãe para o feto durante a gravidez.

Fluidos corporais SEM SANGUE, NÃO transmitem o HIV, tais como saliva, suor e lágrima.

É importante lembrar também da importância de lutarmos contra o preconceito. Afinal, quem tem AIDS e se cuida pode buscar sim ter uma vida normal e não pode ser deixado à margem da sociedade.

Vamos aproveitar a data de hoje para refletir e nos conscientizar quanto à importância de prevenção e os riscos da doença.

Foto retirada do site "http://observandoparintins.blogspot.com.br/2013/04/aids-uma-reportagem.html"

Foto retirada do site “http://observandoparintins.blogspot.com.br/2013/04/aids-uma-reportagem.html”

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *