Páginas
TwitterRssFacebook
Categorias

Postado por em jun 29, 2014 em INSPIRAÇÕES | 75 comentários

Marcos Vieira: exemplo de persistência!

Marcos Vieira: exemplo de persistência!

Markito capa

Aqui compartilho o depoimento de um dos meus melhores amigos sobre seu processo de mudança de atitude de vida no qual emagreceu mais de 30 quilos. Com muito orgulho é o primeiro post de “Sucesso Light” aqui do blog. É um texto longo mas muito honesto, sincero e inspirador! Boa leitura!

“Fato: ninguém gosta de estar gordo. Antes que o tema vire polêmica em torno de uma mesa (cheia de comida!), vamos estabelecer duas premissas:

1) uso o verbo estar porque é uma questão de estado físico da matéria e isso permite mudança (pro bem ou pro mal); 2) Não acho que esse estado – estar gordo – produza infelicidade e que as pessoas que estão gordinhas não sejam felizes.
Estive gordinho por quase dez anos na minha vida. Sempre me dediquei ao trabalho, aos amigos, à família. E esqueci de me dedicar a mim mesmo. Tendo dito isso, vou refazer a primeira frase desse parágrafo: eu estive gordão por quase dez anos na minha vida.
Eu frequentava qualquer ambiente em que a comida e a bebida fossem as grandes estrelas; socializava, exclusivamente, numa mesa de bar. E isso me deixava em tamanho estado de “excitação” que minha pressão arterial subiu e não quis mais descer. Ou seja, sou hoje hipertenso (e isso não é mais estado; é fato que não muda). Para manter essa rotina, então, me tornei  dependente de remédios para pressão arterial e acumulo no histórico  algumas internações na emergência cardiológica. Em resumo, a saúde já me dava sinais de que precisava mudar meu estado mas eu não percebia esses sinais. Afinal, eu não me via tão gordo assim. E eu não via tão gordo mesmo! Isso é verdade! E continuava engordando…

Até que, numa viagem, tudo mudou. Em vez de eu focar na saúde, foquei na vaidade. Certo ou errado, hoje acho que não importa, foi isso que me fez mudar. Vou resumir.

Estava em San Francisco, entrei numa loja e provei uma camisa G. Nem entrou. Provei a GG, idem. Provei, então, o maior número, Extra GG. Essa era a última oportunidade de eu usar aquela camisa. E, para minha frustração, não entrou. Veja bem: não ficou apertada não; ela NÃO ENTROU. Quando olhei para a loja, vi pessoas que eu classificava como gordas usando a mesma camisa (as vezes até um pouco apertada; mas que havia entrado neles). Surtei. Fiquei frustrado. Decepcionado. Como cheguei naquele estado e não havia me dado conta. Definitivamente, eu não estava gordo; eu estava, na verdade, obeso.

De volta ao Rio, me agendei consultas com uma cardiologista e com uma nutricionista. Eu me matriculei numa academia perto de casa. Eu morria de vergonha de ir a academia. Ficava imaginando como as pessoas me classificariam. Mas a necessidade de mudar o meu estado era muito maior. E como sempre fui muito dedicado e disciplinado nas coisas em que me envolvo, entrei de cabeça nesse projeto de vida: ficar bem.

A cardiologista não fez qualquer restrição de atividades após analisar os resultados do batalhão de exames que me submeti; a nutricionista, que se tornou uma grande amiga, desenhou um plano de reeducação alimentar tão direcionado para mim que tinha até dicas para pular a cerca e técnicas para “me enganar”.

Na academia, comecei fazendo as aulas de atividades cardiovasculares e uma série de musculação. Também não dava para pegar pesado: eu estava sedentaríssimo (e queria ficar saradíssimo).
Sempre estive atento às orientações. Da cardiologista, da nutricionista, do professor da academia. Eu anoto as dúvidas, registro as observações. Sou caxias mesmo. E, no começo então, fui caxias ao quadrado, ao cubo… a décima potência. Fiquei tão focado que os amigos já me achavam chato; ia nas sociais mas não bebia; não topava programas que envolviam comida.

Depois de um mês de academia, resolvi que precisava de um treino mais orientado para mim, queria um acompanhamento mais direcionado e decidi contratar um personal. A escolha não foi difícil. Decidi o seguinte: o primeiro professor da academia que me observar e vir me ajudar na execução de um exercício, será o candidato escolhido. E assim aconteceu.

Markito mosaico

Entre musculação e atividades aeróbicas, passamos a andar na Lagoa. Depois, andar e trotar. Para trotar e correr foi rápido. Até a primeira volta completa correndo. Com três meses de treino e menos vinte quilos no corpo. Eu me apaixonei pela corrida. E a dieta acompanhou a euforia dos treinos. Eu passei a me alimentar para emagrecer e para malhar. A cardiologista passou a sinalizar que, naquele ritmo, os medicamentos seriam logo, logo reduzidos. O espelho já dava sinais de que a coisa estava dando certo e a imagem estava ficando boa.

Pessoas que ficaram um tempo sem me ver, ao me reencontrar não conseguiam esconder a surpresa. Quem me conhecia naquele momento sequer me imaginava gordo. Eu estava ficando magro.
E daí vem algumas crueldades do ser humano. Não comigo. Mas consigo mesmo. Porque as pessoas tendem a classificar os outros como se classificam. Alguns cogitavam que eu estava doente; outros, que eu havia feito cirurgia bariátrica ou colocado balão gástrico.
Nada contra. Nem aos doentes nem as intervenções, mas eu trabalhei duro para conquistar meu novo estado.
Eu pensava: “nego me encontra todo dia na academia, nunca me viu internado ou num pós-operatório, divulgo fotos das minhas atividades e ainda acham que eu operei ou estou doente? Sacanagem.”.

A história é longa mas vou concluindo por aqui. Hoje estou mais feliz. E não por estar com o corpo normal (ainda não me percebo magro). Mas porque conquistei o que queria: a camisa daquela loja da viagem, tamanho G (porque sou grande!), e tudo que veio com ela: resgate da minha autoestima, resgate da minha saúde, descoberta de o quão sou capaz de mudar meu estado. Mantenho meu ritmo intenso de treino porque amo fazer isso, mantenho a dieta (até para me fazer rir das puladas de cerca) e faço terapia, para que eu consiga perceber que isso tudo é apenas uma parte de mim e que sou parte de tudo. E o ser não é estar. Independente de como eu esteja, eu posso ser – e sou – feliz.”

75 Comentários

  1. Vc é muito determinado, Alberto. Não vejo outro resultado se não o sucesso. Gde abraço, Marcos.

    [Responder]

  2. Você sempre me motivou. É uma questão de bem estar mesmo, viu? E agora que sinto esse bem estar, não quero me privar dele.
    Bj.

    [Responder]

  3. Obrigado, Alessandra. Vamos seguir juntos! Bj.

    [Responder]

  4. Amado primo, linda matéria! Sem dúvida um exemplo a ser seguido. Como membro da família, agradeço a vc por essa mudança pois confesso que todos estávamos muito preocupados com a sua saúde, ou melhor, com a falta dela. Cada vez que vc ia a uma emergência era um susto! Agora respiramos mais aliviados. Parabens! Bj gde

    [Responder]

    Gravatar

    Marcos Vieira respondeu:

    E vc é uma grande inspiração, né? Minha priminha linda que se tornou uma mamãe tão linda, mulher tão determinada e responsável. Muito orgulho! Sabia que o nosso carequinha me inspira desde que estava lá na sua barrigudinha… Lembro de que qdo soubemos q vc estava grávida, pensei. Esse neném nunca me verá gordo e cuidarei de saúde para que ele possa contar comigo por muitos e muitos anos. Um beijo.

    [Responder]

  5. Amado primo, linda matéria! Sem dúvida um exemplo de dedicação e perseverança! Agora respiramos mais aliviados pois estávamos preocupados com a sua saúde, ou melhor, com a falta dela! Parabéns! bj gde

    [Responder]

  6. Amei o depoimento. Super realista, principalmente no que tange a não percepção de nosso estado atual de “magreza”. Acho a terapia super importante nesse sentido. Também faço até hoje. Beijos.

    [Responder]

    Gravatar

    Marcos Vieira respondeu:

    Minha querida, nem sei como expressar toda a minha admiração e carinho por você… Menina doce, mulher determinada. Acho mesmo que nesta sessão deveria ter uma depoimento seu. E isso vai além da mudança de hábito. Mas sim da sua motivação pessoal e sua forma firme e doce de ver o mundo e as suas possibilidades. Gosto muito disso! Saudades de ver vc na academia…

    [Responder]

  7. Muito bom! Me surpreendi com tua garra e fico feliz por você!

    [Responder]

    Gravatar

    Marcos Vieira respondeu:

    Oi Leandro! Obrigado pela mensagem. Estou bem feliz com esse meu novo eu também… Um abraço grande e obrigado pela mensagem.

    [Responder]

  8. Marquito, fico muito feliz por você! Existem duas coisas que andam juntas mais são muito diferentes. Uma é ser saudável e consequentemente estar em boa forma, a outra é ser feliz. Tenho certeza que hoje você está mais em forma e mais feliz!
    Quando você fala “E não por estar com o corpo normal (ainda não me percebo magro)”, pode estar reproduzindo um discurso muito danoso as pessoas que estão fora de forma.
    Grande parte das pessoas não podem pagar um psicólogo ou tem preconceito com terapia, mas sabemos da importância dela. Em decorrência disso, muitas pessoas não conseguem se desenvolver mentalmente e sofrem, principalmente quando estão fora de forma.
    A mídia propaga a ideia de que para ser feliz, você precisa estar em boa forma, a tal ponto, que muitos procuram meios prejudiciais para entrar em forma, alguns se tornam até homens-chesters, com músculos super-desenvolvidos que nunca existiram na história da humanidade.
    Aqueles que não atingem o estereótipo de beleza televisivo, que estão fora de forma, se auto-massacram como “anormais”. Temos que assumir a responsabilidade de desqualificar essa associação entre boa forma e felicidade.
    O Marcos hoje está em forma e está feliz! Mas isso só é possível porque ele trabalhou o corpo e a mente! Parabéns!

    [Responder]

    Gravatar

    Marcos Vieira respondeu:

    Oi! Já conversamos sobre a sua mensagem. Sabe, levei sua reflexão – muito interessante – para o meu personal. Aí, fava lembrando, aqui neste blog, há dicas de possibilidades de mudança de atitude… Mas, mais do que isso, acho que demonstra que as pessoas podem querer viver bem consigo mesmo…
    Obriado pela mensagem, pela sua visão… Faz sempre refletir!
    Gde abraço.

    [Responder]

  9. Parabéns Marcos, você é mais um exemplo de que tudo começa a nossa vontade de mudar, mudar pra melhor, mudar para o que nós trás felicidade, mudar seus hábitos, seus estilo de vida e ser feliz s feliz consigo mesmo, tiro chapéu o admiro o trabalho do sei super professor Felipe Neri, escolheu muuuuuito bem!!! Beijaoooo

    [Responder]

    Gravatar

    Marcos Vieira respondeu:

    Oi Ale! Vc sabe que é uma das minhas “it fitness girl” favoritas… Algumas de suas frases me inspiram na corrida, no treino de musculação… Como se ouvisse vc mesma falando: “não desiste agora! Não pára… Perna, perna, perna…” As vezes, correndo, sorrio lembrando disso.
    Nem preciso dizer que vc é uma grande ídolo, né? Acho que o blog da Fá merece um texto seu de dicas de fitness…
    Bj.

    [Responder]

  10. Parabéns, sempre te via de manhã cedo na musculação, spininng, que legal! Me dá a dica da nutricionista.

    [Responder]

    Gravatar

    Marcos Vieira respondeu:

    Olá Claudia! Passei o telefone da Vivi, minha nutri-amiga, para a Alessandra. Qq coisa, me passa seu contato que trocamos uma ideia. Meu email é mvinic07@gmail.com. Obrigado pela mensagem! Bj.

    [Responder]

  11. Oi Monique! Acredita que até mesmo eu tenho dificuldade em me enxergar gordo… Estranho, né? Olho nas fotos, como essa que está no post, e acho muito doido saber que era eu. Mas era mesmo. Acredito mesmo que a vontade de mudar deve ser grande; mas a determinação é crucial no projeto. Bjs.

    [Responder]

  12. Minha prima linda, vc sabe que muito me inspira, né? Sua vontade de viver e ser feliz inspiram e estimulam… Acho q é de família… rs

    [Responder]

  13. Obrigado Sulinha!!! Bj.

    [Responder]

  14. Ric, querido! Além de me manter saudável, tenho que andar bem vestido, né? Para agradar a melhor equipe do mundo! rs

    [Responder]

  15. Detemrinação e coragem, né?! E acho que somos de uma geração que tem isso na veia… Basta querer e seguir! Gde abraço.

    [Responder]

  16. Natashinha, acho que é cíclico e que auto se alimenta. A minha família é a minha maior e mais forte inspiração… Cada um é um pouco de mim e sou um pouco de todos. Amo muito!

    [Responder]

  17. Oi Dayane! E vc agora tem um motivo lindo para se animar, né? Bj e obrigado.

    [Responder]

  18. Vc realmente me enche de orgulho. Não só eliminou quilos e tá mais sarado, mas mudou sua atitude no dia a dia. Parabéns migo! Bjs!

    [Responder]

  19. Marquito! Muito legal saber dessa sua mudança de atitude! Como estou longe, um dia simplesmente vc me apareceu magro e lindo, mas eu nao tinha idéia que por trás disso havia uma história super bacana! Parabéns pela sua forca de vontade!! O mais legal ē ver como vc esta feliz! Obrigada pelo depoimento!

    [Responder]

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *